Ações de roçagem retiram 377 toneladas de resíduos por dia em Salvador

Rocagem de vegetacao Praca do Petroleo Foto Bruno Concha Secom

Praças, canteiros, áreas com terrenos baldios e margens de córregos constantemente são beneficiados com serviço de roçagem pela Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb). A ação, que consiste no corte de mato e ervas daninhas de forma manual ou mecânica por roçadeiras, resulta no aspecto regular e uniforme do local atingido, bem como ajuda a prevenir a proliferação de insetos e bichos transmissores de doenças.

“Agora estamos vivendo o período chuvoso e, com isso, há um aumento da demanda. A vegetação cresce muito mais rapidamente e o serviço precisa ser refeito com mais frequência”, destaca o presidente da Limpurb, Leonardo Oliveira.
Aproximadamente 377 toneladas de resíduo vegetal costumam ser coletadas por mês em Salvador. Nas principais avenidas da cidade, há equipes fixas que realizam a roçagem em trechos que passam, por exemplo, no Acesso Norte, Avenida Bonocô, Vale do Nazaré, Avenida Lucaia e Avenida Juracy Magalhães, finalizando na Avenida ACM, no Iguatemi. Com o fim do percurso, que pode levar até 45 dias, tempo suficiente para o crescimento do mato, o trajeto é iniciado novamente.
Atuação na cidade – Há ainda equipes móveis que fazem a limpeza nos bairros. A programação é montada para atender as áreas mais críticas, assim como as solicitações da população através do Fala Salvador 156 e de ofícios enviados diretamente para a Limpurb. A atividade é executada também nos mutirões de limpeza realizados em conjunto com o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). Mais de 700 agentes fazem parte das equipes que realizam os serviços especiais da Limpurb, que incluem também varrição, gancheamento e pintura. Com a finalização da atividade, todo o resíduo segue para o aterro sanitário.
Em áreas extensas onde há a presença de uma alta vegetação, como a Avenida Dois de Julho, que liga Cajazeiras à BR-324, as alças do viaduto do Complexo Viário Dois de Julho, na região do Aeroporto, e a rotatória de Valéria, a ação é realizada por um trator com uma roçadeira acoplada. Nas encostas, a limpeza só é realizada depois de uma vistoria e autorização da Defesa Civil de Salvador (Codesal). Em um rapel, os agentes capacitados deslocam-se pela encosta e realizam o serviço de forma manual com um facão.
“A cidade limpa e roçada é sinônimo de saúde pública. A realização desse serviço é fundamental para manter a cidade bonita e evitar a propagação de insetos em locais próximos a córregos, por exemplo. Com isso, conseguimos melhorar a qualidade de vidas das pessoas que moram em áreas que favorecem a alta vegetação e de toda a cidade como um todo”, acrescenta Oliveira.

 

 
Por:SECOM/PMS 

Deixe uma resposta