Barro Branco ganha contenção de encosta e anuncio de obras habitacionais

Morar com segurança e dignidade. Esse é um desejo principalmente das pessoas que residem em áreas de risco de Salvador. A ameaça de deslizamento de terra já não existe mais para quem vive na comunidade do Barro Branco, no Alto do Peru. A moradia mais digna começa a se tornar realidade a partir da próxima semana, com o chegada do Morar Melhor. E tem outra notícia boa: a comunidade vai ganhar um conjunto habitacional popular novinho, como reafirmou hoje (20) o prefeito ACM Neto, que esteve na localidade.
Ao lado do vice-prefeito Bruno Reis e do secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, Almir Melo, entre outras autoridades, ACM Neto esteve no Barro Branco para entregar a segunda etapa das obras de contenção de encosta, executada com recursos próprios do município. A localidade sofreu bastante com as fortes chuvas em abril de 2015, com vítimas fatais e famílias que tiveram que deixar suas casas, com todo apoio e respaldo financeiro da Prefeitura.

Somente a obra de contenção, que custou R$13,5 milhões nas duas etapas (R$8.839.136,67 na primeira e R$4.616.747,56 na segunda), vai dar mais segurança a cerca de 200 famílias que vivem no Barro Branco. “O que antes era uma área de altíssimo risco passa a ser mais protegida, mais segura, e vai ganhar mais vida a partir da vinda do programa Morar Melhor e do conjunto habitacional que iremos construir aqui”, declarou ACM Neto, em entrevista à imprensa.

O novo conjunto habitacional vai ter 80 apartamentos que serão entregues a famílias carentes. A fase atual é de garantir a propriedade do terreno pela Prefeitura. Isso em função do terreno pertencer a uma empresa privada. “Já iniciamos o processo de desapropriação. O projeto para a construção dos apartamentos está pronto. Serão, no total, 80 imóveis”, revelou ACM Neto. Já o Morar Melhor, que reforma os imóveis de famílias carentes sem custo para essas pessoas, irá beneficiar 68 casas.
Proteção – Executada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop), a intervenção nesta segunda etapa englobou a implantação de cortina atirantada em 599 m² do lado direito e outros 209 m² do lado esquerdo. Além disso, foram utilizadas as técnicas de solo grampeado em cerca de 200 m² de encosta e de hidrossemeadura em outros 5.400 m²

A medida complementa a primeira etapa da encosta no Barro Branco, entregue em 29 de março de 2017 – mesmo dia do aniversário de 469 anos de Salvador e da assinatura da ordem de serviço para as obras da segunda etapa. Na ocasião, foi realizada a contenção de 1.682m² de área de risco utilizando a técnica de cortina atirantada, dividida em duas partes: principal e complementar.

A cortina principal possui 156m de extensão, 10m de altura e 0,25m de espessura. Já as cortinas complementares possuem um total de 75m de extensão, três metros de altura e 0,25m de espessura. A execução da cortina atirantada envolveu escavação, perfuração do solo, introdução dos tirantes e telas metálicas, injeção de calda de cimento, concretagem e protensão (aumento da resistência do concreto) dos tirantes.

Ao todo, foram 4.175m de tirantes e 590m³ de concreto. Na área restante, de 4,5 mil m², foi feito o retaludamento e execução de hidrossemeadura para proteção do terreno. Além disso, foi implantada drenagem com instalação de canaletas na crista e no pé das cortinas, junto com as caixas de drenagem. Com isso, toda a água proveniente das chuvas passou a ser encaminhada para a rede de drenagem existente na Avenida San Martin, que fica à margem do Barro Branco. Além da contenção, em ambas as intervenções, também foram implantados nova pavimentação e meio-fio.

Balanço – Desde 2013, a Prefeitura já entregou 57 obras de contenção de encostas, incluindo as marítimas. Nove projetos estão em execução e outras 12 estão a iniciar. O investimento global é de R$ 114,2 milhões, com recursos municipais e federais. Dentre as localidades beneficiadas estão Cosme de Farias, Federação, Vale das Pedrinhas, Ladeira do Cacau, Avenida Contorno, Canabrava, São Cristóvão, Itapuã, Saramandaia, Rio Vermelho, Luiz Tarquínio, Saboeiro, Santa Mônica, Costa Azul, Estrada Velha do Aeroporto, São Caetano, Liberdade, São Tomé de Paripe, Estrada da Rainha, Fazenda Grande e São Marcos.
Outra solução adotada pela Prefeitura para as áreas de risco são as geomantas. Desde 2015, a técnica inovadora de proteção de encostas utilizando material composto em PVC e geotêxtil já foi aplicada, sob a coordenação da Defesa Civil de Salvador (Codesal), em 115 pontos da cidade. No total, são 77 mil m² de área que trazem mais tranquilidade e segurança para os moradores, principalmente no período chuvoso, em localidades como o Conjunto ACM  (Cabula), Parque Sílvio Leal (Cajazeiras VI), 1ª Travessa João Rodrigues Mendes (Boa Vista do Lobato) e Rua da França (Sete de Abril), dentre as mais recentes.
Por:SECOM 

Deixe uma resposta