Fogo Simbólico: prefeito Dinha recepciona símbolo da independência da Bahia

Na manhã deste domingo (1), Dinha Tolentino, prefeito de Simões Filho, cidade da Grande Salvador, acompanhado da comitiva municipal, recebeu, do prefeito de Candeias, Pitágoras Ibiapina, a tocha do Fogo Simbólico, marca da Independência da Bahia.
O fogo simbólico representa a união dos povos pela independência da Bahia. No ato de recepção, o Hino do Brasil e da Bahia foram executados, as bandeiras hasteadas,  autoridades se pronunciaram e as fanfarras: Banda Show Contemporânea da Bahia, Banda Show Integração e Banda Show Fanausf se apresentaram.
“É importante a gente vivenciar cada momento do dia de hoje, porque é festejar e comemorar a liberdade. Um exemplo a ser vivenciado a cada dia por cada baiano, por cada brasileiro e por cada simõesfilhense. É uma luta constante! Em apenas um ano e seis meses de governo, estamos aqui trabalhando forte para que Simões Filho verdadeiramente faça como fez no passado e viva diariamente essa história vitoriosa do 2 de julho”, disse o prefeito.
A tocha seguiu para a capital baiana, por volta das 14h20, pelas mãos de Luci Oliveira, atleta da cidade de Simões Filho e pela comitiva da cidade, composta pelo Prefeito e demais autoridades.
Tradicionalmente, a tocha passa por cidades da região metropolitana, como São Francisco do Conde e Candeias, além do recôncavo baiano, como Saubara, Santo Amaro da Purificação e Cachoeira, antes de chegar ao seu destino final, Salvador.
O 2 de Julho é a data cívica mais importante para a Bahia, pois neste dia em 1823, foi decretado a Independência do Estado baiano em plena Guerra da Independência brasileira.
Participaram do ato cívico, o vice-prefeito Sid Serra, vereadora e primeira dama Kátia Oliveira, além dos vereadores Adailton Caçambeiro, Arnoldo Simões, Del, Deni da Metalúrgica, Eri Costa, Elimário Lima, Everton Paim, Manoel Carteiro, Neco Almeida, Vel, secretários municipais, PM Major Fábio Dias, Representante do Exército Brasileiro, Tenente Corenel Rafael Silva, deputado Sargento Isidório e sociedade civil.
FOTO: DANILLO CANUTO

Deixe uma resposta