Começa campanha de vacinação contra febre amarela com doses fracionadas

Febre Amarela Dose Fracionada Multicentro Carlos Gomes Foto Bruno Concha/Secom

A Secretaria Municipal da Saúde deu início, nesta segunda-feira (19), à campanha de intensificação contra febre amarela com uso de doses fracionadas e padrão. A ação visa ampliar a cobertura vacinal na capital e em mais outros oito municípios baianos, além de reduzir a população suscetível à patologia em curto prazo. A dose fracionada é uma parte da dose padrão da vacina contra a febre amarela, que confere proteção similar por um período de até 8 anos. A eficácia é a mesma e funciona como medida emergencial para o controle de possíveis surtos.

Pouco mais de 1,2 milhão de indivíduos ainda precisam se proteger contra a doença em Salvador. A vacina fracionada está sendo administrada em pessoas com idades entre 2 e 59 anos que nunca foram imunizadas contra a doença. Crianças entre 9 meses e 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids) e viajantes internacionais (é preciso apresentar o comprovante do deslocamento) continuarão a tomar a dose padrão do imunobiológico.

A campanha seguirá até 9 de março em Salvador. O Dia D da estratégia será promovido em 24 de fevereiro (sábado) para ampliar o acesso às doses para a população. A vacina está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, nas 126 unidades básicas da rede municipal. É recomendável levar o Cartão do SUS, um documento de identificação com foto e Cartão de Vacina, mas quem estiver sem esses documentos também poderá se vacinar.

Orientações – O Ministério da Saúde afirma que a vacina é contraindicada para crianças menores de seis meses, idosos acima dos 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Para estes grupos, a orientação é que a pessoa busque ajuda médica, cujo profissional de saúde avaliará o benefício e o risco da vacinação, levando em conta eventos adversos.

“Por conta de casos positivos confirmados de febre amarela em macacos no ano passado e o grande número de pessoas a se vacinar no município, Salvador foi incorporada na estratégia da imunização fracionada pelo Ministério da Saúde. A dose fracionada tem eficácia garantida por pelo menos oito anos, por isso, após esse período, é necessária uma nova dose de reforço”, explica Doiane Lemos, subcoordenadora de Doenças Imunopreviníveis de Salvador.

Macacos capturados – Desde o início de janeiro até a segunda semana de fevereiro, 95 macacos foram capturados na capital baiana para realização de exames laboratoriais de detecção da febre amarela. Os materiais coletados dos animais em Salvador já foram encaminhados para o Laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Rio de Janeiro, referência nacional para esse tipo de análise. Os primeiros dez materiais analisados pela Fiocruz descartaram a presença do vírus da febre amarela nos animais capturados. As outras 85 amostras seguem sob análise. Em 2017, foram registrados 13 macacos com confirmação de febre amarela em Salvador.

Por:SECOM/PMS

Deixe uma resposta

MySQL query error