Profissionais de saúde participam de oficina de fortalecimento da atenção às crianças com síndrome da Zika

A coordenação de Atenção Básica, os profissionais do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF), do Programa Saúde na Escola (PSE) e do Ambulatório de Fisioterapia, além das famílias e crianças com microcefalia participaram da oficina ‘Estratégia de fortalecimento da atenção às crianças com síndrome da Zika congênita e suas famílias’, na Secretaria de Cultura – CIA 1, uma parceria entre a Prefeitura e Ministério da Saúde, Estratégia Brasileirinhas e Brasileirinhos Saudáveis (EBBS/IFF/Fiocruz).
O objetivo do evento foi sensibilizar os funcionários e famíliares, além de proporcionar a aprendizagem de utensílios de estimulação precoce.
“Aqui os profissionais têm acesso a técnicas simples e acontece o estímulo do vínculo da família com a criança. Peças são criadas conjuntamente a partir da necessidade de cada criança, através de matérias acessíveis, de baixo custo, e que podem ser usados em espaços terapêuticos e pelas famílias”, disse Daniela Marçal, coordenadora do projeto.
Para a coordenadora da Atenção Básica, Iridan Brasileiro, a iniciativa proporciona a troca de experiências e a coleta de informações fundamentais para fortalecer os cuidados com as crianças acometidas pelo vírus.
“Essas crianças precisam ter um cuidado e um trabalho de estimulação precoce e continuada durante toda a vida e, além disso, uma atenção mais cuidadosa. Todo esse processo é para dar essa oportunidade, fortalecendo as estratégias de tratamento adequado às crianças e suas famílias”, afirmou.

Deixe uma resposta