Escola do Piauí já classificou seis alunos no Jovem Senador

Lanielle Lorana de Sá Andrade, 1ª colocada do Concurso de Redação do Senado Federal, é a sexta estudante do Centro Estadual de Tempo Integral José Alves Bezerra, de Monsenhor Hipólito (PI), a participar do programa Jovem Senador

A estudante piauiense Lanielle Lorane de Sá Andrade é a sexta aluna do Centro Estadual de Tempo Integral José Alves Bezerra, do município de Monsenhor Hipólito (PI), a participar do programa Jovem Senador. O fato é inédito. Lanielle, que fará 18 anos em dezembro, foi classificada em primeiro lugar no concurso de redação que, todos os anos, seleciona um estudante de cada unidade da Federação para passar uma semana no Senado atuando como jovem senador. Ela foi orientada pelo professor Satírio Francisco de Souza na elaboração do texto. Para ele, um dos motivos do resultado é o fato de levar o projeto a sério.

— A gente acredita muito no programa e acha que ele é importante para a formação política e cidadã da juventude. Segundo ponto, porque a gente, enquanto professor, e eu principalmente como professor de língua portuguesa, procuro realizar o meu trabalho com muito amor e dedicação.

Na avaliação do professor Satírio, esses dois fatores têm contribuído para que os alunos e a escola se motivem para participar do programa. É importante, disse, mostrar que eles são capazes de vencer, o que ajuda cada estudante a dar o máximo de si no momento de escrever a redação.

— Os alunos se envolvem no projeto. No início do ano, a gente apresenta o tema e percebe a empolgação de todos. A gente ouve eles dizerem: “Este ano quem vai ganhar sou eu”. É um trabalho muito grande para corrigir todas as redações, porque todos os alunos da escola participam com seu texto.

Avaliação

O professor Satírio é um dos 27 professores que orientaram os estudantes na elaboração da redação e estão acompanhando os jovens senadores. Na semana passada, durante as atividades do Jovem Senador, em Brasília, eles avaliaram o programa, juntamente com a coordenadora do projeto, Marcia Yukiko.

— Os professores consideram um ponto fundamental a produção de material didático específico para eles, com conteúdos mais fáceis de aplicar em sala de aula, adequados para o ensino médio, segmento do Jovem Senador, e especialmente cartilhas de exercício que desenvolvam não somente o trabalho do Poder Legislativo, mas também a temática que foi escolhida para cada edição — disse Yukiko.

Também foi sugerida uma maior divulgação do programa. Para os professores, é preciso que o Jovem Senador seja divulgado desde o lançamento do tema até a sua fase final. Segundo afirmaram, a medida pode ajudá-los a convencer a direção das escolas e os alunos a participarem.

Curso

Na quarta-feira passada, os professores participaram do curso “Técnicas e Didática de Ensino para a Educação Cidadã”, ministrado pelo diretor da Secretaria de Gestão de Pessoas (SEGP), Paulo Meira. Além de técnicas em sala de aula, ele apresentou produtos do Senado que podem ser utilizados com os alunos. Houve ainda, segundo Paulo Meira, exercícios para a saúde vocal e troca de experiências sobre processos de avaliação em sala de aula.

— Me pareceu uma experiência muito rica de trocas entre o Senado e os professores, e entre eles próprios. Já são excelentes professores, uma vez que foram os orientadores dos jovens senadores vencedores desta edição, mas vários deram depoimentos, ao final do curso, que se sentiam ainda mais preparados para uma educação cidadã continuada a seus estudantes de todo o Brasil — disse Paulo Meira.

O programa Jovem Senador é uma iniciativa da Secretaria de Comunicação Social (Secom), Secretaria-Geral da Mesa (SGM), Consultorias Legislativa e de Orçamento e Diretoria-Geral (DGer). O concurso anual de redação, que seleciona os participantes, é planejado, coordenado, executado e avaliado pela Secom, por meio da Secretaria de Relações Públicas, Publicidade e Marketing.

Agência Senado

Deixe uma resposta